Artificiel Alexandre Burton & Julien Roy - POWER

Artificiel: Alexandre Burton & Julien Roy

POWEr

Abstract:
Usando uma serpentina Tesla audio-modulada como instrumento ao vivo, arcos elétricos são gerados e transformados em um processo audiovisual em tempo real. A eletricidade é usada como um material sutil, mas intenso, manifestada como um fenômeno intrinsecamente sinestésico. A composição vai de uma manifestação crua a um padrão audiovisual rítmico e estruturado, a uma exploração lenta de processamento visual e sonoro, culminando em uma melodia acústica pura. Com o tempo, o relacionamento entre a serpentina acústica, a projeção em vídeo e o reforço do som são articulados como um sensor dramatúrgico formal. O desafio é trazer esse instrumento ao palco e permitir que ele se apresente ao lado de um forte esquema audiovisual.
Baseando-se em um contexto que é meio caminho entre uma apresentação musical e uma instalação de mídia arte, “POWEr” está na linha do desenvolvimento de Artificiel com
projetos anteriores como condemned-bulbes (2003) e cubing (2006) e ocorre levantando as possibilidades da espontaneidade e trabalhando com estruturas musicais e visuais cada vez mais complexas.
“POWEr” é uma encomenda para a 10ª edição de MUTEK. Este projeto teve o apoio do Canada Arts Council e do Conseil des Arts et Lettres du Québec.

Biography:
Artificiel é um estúdio de criação que se dedica a produzir obras de arte através de tecnologias digitais. As obras têm formatos diferentes, de instalação à performance, que são apresentadas como exposições, shows em palco ou intervenções in-situ. Arte sonora, arte visual, design de software/ hardware e contexto são integrados em cada projeto. Todas as obras são ligadas pela constante preocupação do rigor e a pertinência em relação à prática artística e as técnicas subjacentes à criação.