MIeRROR

Esteban Agosin

MIeRROR

Abstract:
“MIeRROR” é uma instalação composta por um “aquário” espelhado semitransparente. Devido a esse tipo de construção, o objeto tem a particularidade de refletir uma imagem e também de projetar como se fosse uma tela. Na superfície está inserida uma webcam, que através de um computador e da abstração da biblioteca livre OpenCV projetada para a plataforma de desenvolvimento Max Msp Jitter, possibilitou construir um programa para codificar a informação e devolver uma nova imagem levemente transformada. Por sua vez, o sistema neste protótipo capta a posição dos olhos, boca e nariz, e, segundo essas dimensões, a imagem vai se fragmentando e recortando, além de entregar a informação para reproduzir variados sons relacionados com o corpo humano. A obra coloca sob reflexão conceitos que foram desenvolvidos a partir da ideia proposta por David Rokeby no artigo Transforming Mirrors. Segundo o artista candadense, uma tecnologia é interativa conforme o grau em que reflete as consequências de nossa ação, devolvendo uma “imagem de nós mesmos” que já não é a original, uma vez que é processada e transformada, permitindo através desse procedimento que “reconheçamos a nós mesmos”. Nesse sentido a obra remete à própria problemática da interação, ou seja, de certo modo, a ideia de espelho, de reflexo e de convergência entre a imagem refletida e a imagem projetada funciona como metadiscurso das linguagens interativas. Em outras palavras, a obra nasce da reflexão sobre a relação entre o homem e uma máquina, de como gerar um discurso estético dentro de linguagens interativas, e de como articular um constructo simbólico e estético dentro desse paradigma.

Biography:
Esteban Agosin (Chile) é um músico e artista voltado a novas mídias. É formado em música pela Universidade de Valparaíso, Chile, e faz mestrado em Artes Eletrônicas na Universidade Nacional de Tres de Febrero, Buenos Aires, Argentina. É também acadêmico da Universidade de Valparaíso, professor de pós-graduação em composição da Pontifícia Universidade Católica de Valparaíso e está na equipe do curso de Luteria Eletrônica na Pontifícia Universidade Católica de Chile. Trabalha no campo da música eletroacústica, instrumental e mista, e investiga novas mídias aplicadas a som, imagem digital e interatividade. Suas obras são apresentadas em exposições, festivais e concertos no Chile, Argentina, Colômbia, Cuba, Espanha, Suécia e Estados Unidos. Participou da organização do Encontro Internacional de Arte Sonora TSONAMI na cidade de Valparaíso e foi fundador do Encontro de Arte Sonora TSONAMI Bs. As. em Buenos Aires. Em 2009 ingressou na Rede de Arte Sonora Latino-Americana (www.redasla.org) e desde 2011 é membro da Comunidade Eletroacústica do Chile (CECH).