Markus Decker, Dietmar Offenhuber & Ushi Reiter - From Dust till Dawn

Markus Decker, Dietmar Offenhuber & Ushi Reiter

From Dust till Dawn

Abstract:
“From Dust Till Dawn” é uma instalação sonora para uma sala com piso de terra, na qual estão colocados vários fonógrafos, tocando discos de vinil silenciosos. Em consequência dos movimentos dos visitantes, partículas de poeira se acumulam nos sulcos dos discos vazios e definem uma partitura musical. Um tapete de luz monocromático visualiza a turbulência na atmosfera e detecta suas estruturas efêmeras, que são diretamente ligadas ao ruído gerado pelos discos empoeirados. Com o tempo, o impacto físico da interação consome de maneira irreversível a interface e destrói as agulhas dos fonógrafos. A poeira se comporta de maneira imprevisível e é difícil de controlar. Além disso, não é especialmente apreciada, sendo considerada “sujeira” em nossa cultura. Por mais elusivo que o tempo nos pareça, de todo modo ele deixa traços físicos em forma de poeira. A poeira e a atmosfera da sala vazia formam o meio interativo da instalação. A poeira é identificada por um laser de superfície e um sistema de identificação fotográfica e torna-se um meio de interação altamente incomum. Uma rede de lasers em linha instalada logo acima do piso produz um tapete homogêneo de poeira que no início é invisível. Objetos e partículas que perfuram esse tapete, como poeira, fumaça de cigarros ou objetos maiores, tornam-se visíveis nos feixes de laser como uma silhueta ou um contorno. Os contornos e padrões de poeira são registrados e seus movimentos bidimensionais convertidos em som em um sintetizador vetorial. Cada passo que o visitante dá – na verdade, sua mera presença – faz o ar mover-se e causa turbilhões de poeira. “From Dust Till Dawn” trata de um meio interativo frágil, quase incontrolável, e rouba o termo “mídia tangível” de sua intangibilidade. A instalação mergulha o visitante em uma experiência sinestésica em que o movimento através do espaço, visão, som e poeira se encontram de maneiras imprevisíveis.

Biography:
Markus Decker trabalha desde 1995 em ruído, tecno e experimentos com superfícies audiovisuais. Dietmar Offenhuber estudou arquitetura na Universidade de Tecnologia de Viena e mídia arte e ciências no MIT Media Lab. Desde 2008 ele é professor na Kunstuniverstät Linz e pesquisador de visualização da informação no Instituto Ludwig Boltzmann para Pesquisa de Arte e Mídia. Ushi Reiter estudou design gráfico na Kunstuniverstät Linz. Como artista e desenvolvedora de web com interesse especial por net-ativismo e comunicação audiovisual, ela vem colaborando com diferentes grupos e artistas desde 1998. Continua pesquisando software de fonte aberta/livre no quadro de produção cultural e arte, assim como trabalha em ambientes conceituais e performáticos usando mídia eletrônica e analógica. Desde junho de 2005 dirige a organização cultural sem fins lucrativos servus.at/Kunst & Kultur im Netz.